Cabe à Justiça agora mostrar quem está certo ou errado, diz César sobre denúncias

 

Publicado em: 14/10/2011 00:00

Whatsapp

 


O presidente da Câmara César Donizetti de Castro (César do Fula), do PDT, pronunciou-se a respeito da postura adotada pelos dois grupos que compõem a Casa hoje, em relação às denúncias de “obras fantasmas” no município.


De acordo com o presidente, cada um – o grupo do PSDB, partido da prefeita Benice e o bloco composto por PDT, PSC e PMDB - interpreta o fato da forma que lhe convém. “Eu e os quatro vereadores que me acompanham (Orides, Teotônio, Adriano e Nágila) temos a nossa posição e queremos que ela seja respeitada”, disse César.


“Apesar de ter gente que acha que não respeitamos o trabalho de cada um, isso não é verdade”, afirmou. “Eu acho que os vereadores que estão aqui há dois, três, quatro, cinco mandatos, se tem esta forma de trabalhar e estão ganhando [as eleições], então estão aprovados. Ninguém está aqui para duvidar que você faz o trabalho de sua forma e que o eleitor esta satisfeito, porque se não estivesse não teria elegido você novamente”, comentou.


O Presidente ressaltou que discordar não é desrespeitar. “Eu tenho convicção que nós estamos certos. Tudo que nós achamos ali [na Prestação de Contas] é realmente muito convincente e por isso fizemos o que achamos que deveria ser feito: entregamos tudo à Justiça, ao Tribunal de Contas e à Procuradoria que investiga a prefeita”.


“Agora cabe à Justiça realmente provar para nós se a gente está certo ou errado”, declarou César.


Continuar investigando
Apesar das críticas e da pressão que vem sofrendo, César do Fula disse que irá continuar investigando os gastos da Prefeitura. “Inclusive eu estou tirando cópias [dos documentos da Prestação de Contas] do ano anterior [2009], porque o povo cobra”, revelou.


O Presidente comentou também da dificuldade em analisar toda a papelada de uma vez. “Tem gente que não sabe que a gente recebe aqui [na Câmara] as contas no final de março, referente ao ano anterior, então são 15 meses e depois de 15 meses a gente consegue lembrar o que foi gasto pela Administração?” Questiona.


“Se a gente recebesse este balancete mensal, com certeza todas essas dúvidas não estariam sendo levantadas, porque a gente estaria vendo mês a mês todas as ações praticadas por este governo”.