Na Tribuna, mãe de aluno reclama de peso da mochila e faz alerta sobre falta de segurança em escola

 

Publicado em: 19/03/2012 00:00

Whatsapp

 



Na reunião da Câmara de Itapagipe ocorrida na terça-feira 6, a mãe de aluno Alessandra Fernandes Menezes fez uso da Tribuna para discorrer sobre dificuldades de estudantes da Escola Municipal Gil Brasileiro da Silva.

 

Ela comenta que um dos problemas que nota entre os alunos é o grande volume de materiais que eles precisam levar nas mochilas todos os dias. Com dois filhos estudantes daquela escola, Alessandra chegou a pesar os materiais, constatando 5,8 quilos, o que considera muito, mesmo para um adulto.

 

Ela sugere que sejam colocados armários para que os alunos possam deixar livros e outros materiais e só levem para casa, o que necessitarem para a realização de tarefas escolares.

 

“Nas reuniões de pais, a gente explica e da sugestões, mas fica só no papel. Se algum aluno desistir de estudar por causa deste problema, o Conselho Tutelar virá em nossa residência para saber o motivo”, observa.

 

Segurança

Alessandra falou ainda sobre aspectos de falta de segurança no estabelecimento de ensino no horário de entrada e saída do alunos. Conforme diz, são poucos funcionários para lidar e vigiar muitas crianças.

 

A mãe de aluno afirma que nunca viu um extintor de incêndio na escola e que existe uma vala sem grade de proteção que pode causar ferimentos nas crianças. “A gente tira os nossosfilhos do conforto de nossas casas para deixar sobre a responsabilidade de outras pessoas. É preciso ter mais segurança. Precisamos pensar com mais carinho estas situações e tomar alguma atitude”, analisa.

 

Vereadores

O vereador Adriano Ferreira de Morais parabenizou Alessandra por levar o problema ao conhecimento do Legislativo. Ele declarou que a obrigação da Câmara é fiscalizar, porém, os vereadores enfrentam muita dificuldade neste aspecto, porque em certos momentos, a lei traz impedimentos.

 

“A gente vê muita palavra bonita na Constituição em relação a moralidade e ética e de crime do desmando do Poder Público. Eu sou muito criticado porque mostro os defeitos. Mas esta administração prefere esconder do que fazer o certo”, comentou Adriano.

 

“A nossa administração é uma vergonha com o desleixo com o dinheiro público. São tantas irregularidades que nós não conseguimos resolver, porque não há uma boa vontade por parte dela. Mas, eu vou fazer o possível, mesmo com o acúmulo de trabalho que estamos tendo na CPI [da Saúde], de ir nas escolas e verificar a situação. Espero que a administração fique com vergonha e tome atitude; se não, vamos denunciar ao promotor”, disse.

 

O presidente da Câmara, César Donizetti de Castro, disse que também tem uma preocupação com relação ao problema do excesso de peso das mochilas e lembrou que o ideal é mudar também a escola de local, oferecendo mais segurança aos estudantes, principalmente na hora de saída e entrada, devido ao trânsito no centro da cidade.